♥ 330,219 notes | post details | reblog

♥ 253 notes | post details | reblog

ruinedchildhood:

Remember the time Crazy Steve measured his wiener?

ruinedchildhood:

Remember the time Crazy Steve measured his wiener?

♥ 41,495 notes | post details | reblog

"Quando estiver comigo, seja todo você. Corpo e alma. Às vezes, mais alma. Às vezes, mais corpo. Mas, por favor, não me apareça pela metade."

- Caio Fernando de Abreu.  (via showme-thelove)
♥ 3,145 notes | post details | reblog

♥ 48,370 notes | post details | reblog

♥ 31,828 notes | post details | reblog

♥ 6,482 notes | post details | reblog

Arquivo Paralelo, pt. 6

—Sim…

—A-alô? –digo no telefone.

—Senhorita Gail?

—Sim?

—Aqui é Rick… Rick Rains.

—A-ah! Sim, pode dizer senhor! –digo olhando para Mike e para rua confusa.

—Bom, decidi ligar pessoalmente para te parabenizar, você é minha nova estagiária.

—O QUÊ?! –grito surpresa fazendo com que Mike se assuste. —Desculpe. –cochicho sem graça para Mike. —Isso é sério senhor Rains?

—Sim, claro que sim.

—A-ah, que maravilha! –digo me sentindo no paraíso.

—Sim, mais que isso, não é? –sinto como se tivesse me cantando.

—A-ah, sim… Claro…

—Bom, amanhã, Mike irá te buscar no mesmo horário e você virá para cá para decidirmos tudo, ok?

—Sim, senhor Rains. Muito obrigada, mesmo! De verdade, muito obrigada.

—Eu quem agradeço. Até amanhã, e passe para Mike por favor.

—Até senhor. –digo passando para Mike.

—Senhor? –Mike diz ao telefone. —Sim, pode deixar… Em segurança… Ok senhor… Até mais. –e então desliga o telefone.

Ainda estou sorrindo, muito feliz! O dia mais feliz da minha vida, mal posso acreditar!

—Parabéns senhorita Gail.

—Óh, muito obrigada Senhor Mike!

—Por favor, me chame de Michel.

—É-é… Sério?

—Sim, claro! Agora somos colegas de trabalho, não é?

—Ah, sim! –digo com os olhos ainda brilhando. —E por favor, me chame e Thaliia, ou Tha ou Lia.

—Thaliia está bom para mim. –diz sorrindo ainda olhando para rua.

E então ele para o carro.

—Chegamos. –diz desligando o carro, abre a porta, dá a volta e abre a porta para mim.

—Obrigada Senh… Obrigada Michel.

—Não há de quê… Até amanhã! –diz entrando no carro e então vai embora.

—Até… –digo para mim mesma.

Chego em casa 12:00, e então decido arrumar tudo. Faz tempo que não faço uma limpeza nessa casa e então vou para meu quarto, troco minhas roupas por algumas mais confortáveis e começo a limpeza, começo pelo meu quarto. Varro, tiro pó, vejo o que tem de velho embaixo da cama que possa jogar fora e então acho uma caixa, toda empoeirada, abro e há várias fotos, fotos da minha família, toda ela, e então sinto uma dor, uma falta imensa de todos eles. Mas vou me vingar daquele porco nojento que foi o culpado de tudo, que matou eles! E então começo a chorar, desesperadamente, e começo a chutar tudo, tudo que há na minha frente, e então sento no chão e continuo chorando.

—Estou sozinha. –digo para mim mesma chorando mais ainda. Levanto, vou para meu quarto e deito na cama e choro até adormecer.

http://deinfernoparaparaiso.tumblr.com/

♥ 2 notes| post details | reblog

Arquivo Paralelo, pt. 5

E então me levanto, vou me aproximando bem devagar olhando nos olhos dele, ele me olha assustado.

—Primeiro vou me aproximando dele sem tirar os olhos dele, e quando chego bem perto, e o nocauteio fazendo-o adormecer, o prendo e o resto é com a agencia.

—Ual. –ele diz não tirando os olhos de mim e sem que eu perceba estamos mais perto do que devíamos e então me afasto rapidamente.

—É… M-me desculpe… –digo com medo do que pode acontecer, com medo de ter estragado tudo.

—Não… Tudo bem… Bom, concluímos nossa entrevista, minha secretária retornará logo menos.

—O-ok… –digo me levantando.

—Foi um prazer conhecê-la senhorita Gail. –diz oferecendo um aperto de mão.

—Igualmente senhor Rains. –retribuo me despedindo e então caminho até a porta, abro e saiu e sem que eu perceba ele vem atrás de mim.

—Meu motorista irá levá-la até sua casa, ok? –diz ele pegando em meu braço e sinto um choque.

—A-ah, claro… –digo assustada olhando para ele e percebo que também está assustado. Todas que estão na sala percebem certo clima no ar. E então ele me solta e vai até o elevador me acompanhando. As portas abrem e eu entro, ele entra apenas e aperta o botão do andar que devo descer e sai.

—Até mais senhorita Gail. –diz sorrindo.

—Até… –e as portas se fecham.

O elevador desce, percebo que meu coração ainda está disparado, e então respiro fundo. Chego ao andar e o senhor Mike está lá.

—Pronta para ir para casa Senhorita? –ele diz para mim.

—Pronta. –digo a ele ainda meio assustada.

Vamos até a garagem ele abre a porta para mim e entro, logo em seguida ele entra e então liga o carro e saímos.

No meio do caminho o celular de Mike toca.

—Sim, senhor? –ele diz sério. —Claro, está aqui. –ele diz olhando rapidamente para mim e retornando a olhar para a rua. —Sim, vou passar. –ele dá o celular para mim. —É para você senhorita.

—Para mim? –digo pegando o telefone.

http://deinfernoparaparaiso.tumblr.com/

♥ 2 notes| post details | reblog

Arquivo Paralelo, pt. 4

Quando entro ele dirige seu olhar para mim, arregala os olhos e sua boca meio que cai. Droga será que estou com algo? Suja? Droga, droga! Mas logo ele se compõe.

—Bom dia senhorita Gail, como vai?

—Bom dia, senhor Rains, vou bem e você?

—Ótimo. Queira se sentar. –diz apontando para um sofá preto de couro ao lado de sua mesa.

Vou e sento e ele encosta-se a sua mesa.

—Bom, há 7 garotas lá fora…

—Havia. –digo o interrompendo e ele me olha com uma cara de “sua atrevida”. —Desculpe…

—Tudo bem… Bom… Havia 7 garotas lá fora, selecionei 4 para poder entrevistar pessoalmente. Confesso que a primeira foi uma das piores pessoas que já conheci para trabalhar no que trabalho. A segunda, nem ao menos entrou e agora… Você. –ele diz me olhando de cima a baixo como se nunca tivesse visto, e de fato, ele nunca me viu… Assim espero.

—Sim, eu… –digo sorrindo.

—Bom, o que te faz pensar que pode ser uma ótima espiã? Porque você sabe, na nossa agencia só temos os melhores do mundo, não sabe?

—Sim, claro que sei. E bem, respondendo sua primeira pergunta… Sempre gostei desse tipo de trabalho.

—Gostar não é o suficiente para isso… Você sabe, né? –diz me interrompendo e faço uma cara de “seu atrevido”.

—Sim, eu sei, e continuando, como ia dizendo… –ele tenta conter um sorriso. —Sempre fui sozinha, abandonei a casa dos meus pais com 13 anos e eles continuaram a me sustentar até que 6 meses depois morreram e deixaram um dinheiro para mim, mas esse dinheiro não vai durar para sempre e logo que saí da casa dele, algumas mulheres começaram a me pagar para espionar seus maridos e vice-versa… E então comecei a me apaixonar pelo que fazia, e com o dinheiro que me davam e meus pais deixaram decidi fazer cursos de idiomas e vários tipos de lutas.

—Sim, isso conta em seu currículo.

—Sim…

—Bom, e eu vi no papel que minha secretária entregou a vocês sua respota e ela me interessou bastante.

—Por isso estou aqui, correto?

—Sim… –ele franze o cenho. —Bem… Então você é sozinha, correto?

—Praticamente… –digo e sinto uma pontada em meu coração.

—Não têm parentes?

—Tenho mas, vivo melhor sozinha…

—Ah sim, sinto muito.

—Não sinta, por favor. –digo sorrindo.

—Bom, eu tenho mais uma pergunta para fazer a você.

—Manda… –ele olha meio espantado. —Quer dizer… Pode perguntar… –digo sem graça.

—Você está frente a frente com o bandido que tem que prender. O que você faz?

http://deinfernoparaparaiso.tumblr.com/


PAGE 11 OF 193
« 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 »